Cantor lança música onde destaca o uso e abuso do “poder” em “Dono do Mundo”

mario gh

Mario Ghanna não alivia para ninguém em novo vídeo

Mario Ghanna compositor, cantor e músico, natural de Sorocaba (SP) e radicado em Joinville (SC), lança nacionalmente o primeiro single de seu CD “Meio Blues, Meio Samba”, a música “Dono do mundo”.

Logo após o mais longo período de festas no Brasil, o carnaval, o país teve mais uma demonstração de descontentamento público contados através das escolas de Samba “Beija-flor de Nilópolis”, vencedora do carnaval carioca, cujo tema foi “o Brasil monstruoso “e levou para a avenida temas como a indignação popular com os gastos públicos, petróleo, roubos constates de dinheiro público, mensalão, etc. e Paraíso do Tuiuti, vice-campeã do carnaval.

Mas qual a relação da música de Mario Ghanna e os desfiles ganhadores no Rio de Janeiro? A música de Ghanna fala de um cara que está sob os efeitos de entorpecentes, mas não a cocaína, o LSD, a heroína etc., estamos falando de um entorpecente chamado “poder”. “Acreditava, no passado, que a causa da corrupção no Brasil era a impunidade. Óbvio que a impunidade é uma das causas, mas as recentes operações mostraram que, mesmo presos ou cientes de estarem sendo investigados, os corruptos continuam praticando os atos, como se viciados fossem. Algumas das drogas ilícitas trazem essa sensação de ser o dono do mundo. Usei essa metáfora para descrever esse comportamento doente de nossos políticos.”, afirma Mario.  

Muitas frases interessantes são cantadas ao longo da canção: “Se o poder é o sexo dos velhos, a verdade é que estão vivendo uma grande suruba” ou “Enquanto isso o Zé da Rima devagar na esquina tenta só ganhar algum/e no corredor do SUS, já quase sem luz, toda hora morre um”dentre outras. Enquanto bilhões de reais são desviados de cofres públicos, os sistemas básicos de segurança, saúde e outros estão na miséria.

As escolas de samba também receberam a atenção de Ghanna, que publicou em suas redes sociais junto com o lançamento do vídeo:

Parabéns Beija-flor e Tuiuti, os melhores casos de marketing dos últimos tempos. 
A Beija-flor é comandada por Anísio, famoso bicheiro que continuou comandando a comunidade da prisão nas diversas vezes que esteve preso.
O homem do Morro do Tuiuti, por sua vez, é Marcelo Boto, um dos líderes do Comando Vermelho no Rio. Sem falar que ano passado a Tuiuti atropelou quase uma dezena de foliões e matou um. 
Dois desfiles lindos, dois sambas lindos e pronto, toda opinião pública a favor. (lindos os sambas e o desfile, a propósito) 
O carnaval é o retrato do Brasil dos últimos anos, a festa da hipocrisia em que vale mais o “lacre’ que o conteúdo. 
Que tiro, hein?!”  Frase do cantor Mario Ghanna postada em sua página em rede social.

A música segue a linha que tem destacado Ghanna e que fica evidente no disco ao vivo “Meio blues, meio samba – ao vivo em Curitiba”, em fase de lançamento, uma mistura entre o blues, o funk e melodias e letras tipicamente brasileiras. O que confere um ar musical clássico e ao mesmo tempo moderno e contemporâneo às músicas.

A música faz parte do álbum “Meio Blues, Meio Samba”, com produção musical de Mario Ghanna e Michel Falcão e o vídeo é produzido por Menderson Madruga, Mario e Jamile Luz. Menderson também assina a direção dos vídeos.

Assista “Dono do Mundo” : https://goo.gl/keo38Z

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *