Venezuelanos em São Paulo conhecem o Plan País de Juan Guaidó

A diáspora venezuelana residente em São Paulo em 21 de outubro, no Auditório Paulista Premium, para conhecer mais detalhes sobre o planejamento que impulsiona o governo do presidente encarregado da Venezuela, Juan Guaidó, para a reconstrução desse país sulamericano. O Plan País, como é chamado, é o produto do debate de grupos de especialistas venezuelanos e pretende assentar as bases da reconstrução da Venezuela, os elementos que o compõem, abordando desde a atenção da crise humanitária até o desenvolvimento de um novo modelo econômico que permita restaurar a capacidade de produção.

Participantes durante o evento Plan Pais

As questões relacionadas às áreas agroalimentar e energia foram o centro da apresentação. Aquiles Hopkins, Coordenador Técnico do Plan País Agroalimentar, foi o responsável por apresentar as propostas do documento/estudo para o desenvolvimento dos campos venezuelanos. “Necessitamos de uma agenda positiva. Vamos lutar pelo o que queremos e acreditamos. A Venezuela perdeu muito nas últimas décadas, especialmente sua capacidade de produção agroalimentar. O Brasil é um parceiro estratégico nesse momento neste segmento”, afirma Hopkins.

Emb Maria Belandria, Deputado Juan Mejía e Aquiles Hopkins

O deputado e presidente da Comissão Especial da Assembleia Nacional da Venezuela para o Plan País, Juan Andrés Mejía, ficou encarregado de apresentar aos participantes as questões de matéria energética. “Temos que oferecer mais pressão internacional à ditadura atual e o Brasil é um país chave na região, por isso iremos à Brasília conversar com as autoridades para ver novas maneiras de aumentar essa pressão”, contextualiza Mejía, vindo especialmente de Washington, Estados Unidos, onde vive atualmente, pois é um perseguido político da ditadura de Nicolas Maduro.

Além de trocar ideias no âmbito do estudo, os participantes tiveram a oportunidade de aprender sobre o Plano “Vuelve a Casa” (“Venha para Casa”), que visa gerar as condições necessárias para que milhões de venezuelanos retornem ao seu país de origem. “É um trabalho articulado e cada um doa seu tempo, pois somos todos voluntários. Acreditamos no que fazemos e queremos contar com o apoio de cada venezuelano vivendo no exterior”, disse o coordenador Internacional do Plan País, Darío Ramírez.

Dario Ramirez, Deputado Juan Mejía, Emb Maria Belandria e Aquiles Hopkins

Já a embaixadora venezuelana no Brasil, María Teresa Belandria, destacou a importância da participação da diáspora venezuelana no Plan País e na recuperação da Venezuela. “Temos que começar do zero e são as mulheres que mudarão o país”, citou a diplomata e reforçando que são 14 embaixadoras espalhadas pelos países que reconhecem o governo de Guaidó. Questionada sobre sua atuação nos oito meses morando no Brasil, respondeu que não se preocupa com uma embaixada luxuosa, chef, motorista ou outras ofertas. “A embaixada é no hotel onde moro. Quando preciso de favores peço a colegas embaixadores e conto com minha equipe onde cada um tem um papel fundamental. O Governo brasileiro já nos ajuda muito especialmente através do exército apoiando nossos irmãos que cruzam a fronteira, validando àqueles que têm passaportes vencidos entre outros exemplos”, finaliza Belandria.

Embaixadora Maria Tereza Belandria

O otimismo e a esperança da diáspora venezuelana foram reforçados com as propostas concretas apresentadas no evento. Os participantes manifestaram seu apoio ao Plan País e pediram que esse tipo de evento continuasse, permitindo que eles fizessem parte das soluções que lhes permitiriam voltar para casa. Além disso, o turismo foi pontuado como uma das áreas que mais sofreram com a atual situação do destino com o fim de voos internacionais e a queda no número de chegadas.

Evento de lançamento da grife de Erika Schneider reúne bailarinas do Faustão em São Paulo

Erika Schneider realizou ontem (24) a inauguração da sua grife, La Guappa, no luxuoso rooftop da Tetto, zona sul da capital paulista. O evento contou com a presença das bailarinas do Faustão, assim como algumas de suas ex-colegas da atração dominical da Rede Globo.

A La Guappa é a mais nova aposta de Erika Schneider, que agora entra de cabeça no mundo dos negócios, e tem como sócio e parceiro de negócios Victor Peres, criador e CEO da Hibou Style.

Reprodução / Evilardio Junior

Durante o evento, Erika explicou o conceito da marca e falou sobre a nova empreitada: “Este é um sonho de muitos anos e que agora se tornou realidade. Moda pra mim sempre foi muito mais do que apenas a forma como me visto e sim um reflexo da nossa própria identidade. A La Guappa é uma marca de lifestyle, com conceito urbano. O DNA da marca está em oferecer ao público peças atemporais, com uma identidade internacional e um alcance global”.

Reprodução / Evilardio Junior

A ocasião do lançamento também movimentou as redes sociais, com muitos Stories que mostravam peças de roupa da La Guappa e momentos do evento: Ivi Pizzott, Nathalia Zannin, Natacha Horana, Ana Flávia Simões, Emanuele Pamplona, Daiane de Paula, Brennda Martins, Katia Volkland, Leandra Lyra, Yanca Guimarães, Pâmella Gomes e Nicole Navarro estiveram entre as convidadas.

Extensão de cílios: Para cada formato de olho, um modelo ideal

Eles existem das mais variadas formas e modelos: volumosos, espaçados, mais naturais. Mas você sabe qual valoriza mais o seu olhar? Samara Martins proprietária da Pink Lah, uma das maiores empresas de extensão de cílios do país explica que para escolher o modelo ideal, é importante estar atento ao formato e ao tamanho dos olhos.

 “São eles que vão ditar se o modelo deve ser mais puxado, mais cheio ou espaçado, pois cada um vai produzir um efeito diferente a depender tipo de olho que a pessoa possui”, explica.

Em olhos menores por exemplo, o recomendado são cílios no efeito boneca — que são menores nas laterais e maiores no meio. “Esse estilo de alongamento vai provocar a ilusão visual de que a mulher possui olhos maiores, além de levantar o olhar”, garante.

Caso o modelo e efeito não seja escolhidos de maneira certa, o procedimento pode gerar efeitos indesejados como por exemplo, olhos caído. “Uma mulher oriental que coloca cílios em um tamanho muito grande e em formato gatinho pode gerar a impressão de que seu olho é ainda menor e mais puxado, e ao invés de valorizar, deixa o olhar mais abatido’, explica.

Caso você seja daquelas que também que levam em consideração o tamanho x ocasião, o modelo escolhido precisa de adequar aos locais que costuma frequentar. “Modelos mais encorpados costumam ser mais apropriados para eventos noturnos, devido a dramaticidade que trazem ao olhar. Já os mais espaçados trazem mais harmoniosidade para o dia a dia. Mas é importante ressaltar que essas característica básicas, não sobressaem o estilo e a personalidade da pessoa”, alerta.

Escolha o seu

Olhos amendoados: Caracteristicamente possuem o canto externo mais elevado e lembram o formato de uma amêndoa conhecido como efeito gatinho, sendo o olho da atriz Angelina Jolie. Por serem considerados o formato “perfeito”, esse tipo de olho vai bem qualquer extensão, podendo usar desde o modelo mais simples, até os mais volumosos.

Olhos profundos: Mais fundos em relação a face e ao osso da testa. Os modelos ideais são o mais cheios e alongados em todo o comprimento, com a efeito boneca ampliado,que vão projetar o olhar para frente, neste caso alteramos a curvatura também .

Caídos: Ligeiramente mais baixo nos cantos externos, esse olhar é mais melancólico sendo ideal o efeito degrade — levantar o olhar —, o mais eficiente para disfarçar essa característica. Quem tem esse tipo de olho deve apostar na aplicação de cílios longos nas extremidades.

Orientais: A pálpebra nesses casos é plana e sem volume, indicamos cerdas de tamanhos medianos e bastante volume para abrir o olhar, mas tendo o cuidado de não carregar esse olhar.