Saiba quais são os principais motivos para investir no mercado imobiliário em 2020

Apesar de ainda lidar com alguns desafios, o mercado imobiliário brasileiro está em recuperação. Os números do primeiro trimestre deste ano eram animadores e apontavam um aumento de 30% em 2018 na comercialização de imóveis em relação ao ano anterior, indicando um caminho promissor para 2020, além dos dados do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que constatou que em 2019 o brasileiro gastou R$ 57,5 bilhões na compra e construção de imóveis no ano passado, 33% maior que todo o montante investido em 2018.

O especialista no mercado imobiliário e corretor Rafael Scodelario revela alguns dos motivos que levaram a este reaquecimento do setor, que esteve estagnado e até mesmo em recessão em anos anteriores: “Levando em consideração a SELIC em queda, onde rendimentos em aplicações e poupanças estão cada vez mais baixos e, o menor patamar da historia nos juros de financiamentos imobiliário, são alguns dos principais fatores para explicar porque houve uma grande demanda no ano passado, que esteve retraída nos últimos 6 anos de crise”.

Scodelario também aponta que vale a pena investir em imóveis em 2020, seguindo esta tendência positiva: “para este ano, vejo um excelente cenário para investir no mercado mercado imobiliário. A bola da vez é o mercado imobiliário, se você estiver visando rentabilidade e valorização do seu patrimônio”.

Motivos para investir em imoveis em 2020

Rafael Scodelario também salienta alguns dos principais motivos para decidir por um investimento imobiliário: “com a queda da SELIC, investir em imóveis já rende muito mais que a poupança. Além disso, apesar da redução dos juros, imóveis seguem a tendência de valorização e não costumam se desvalorizar tão depressa como outros tipos de investimentos, tendo a tendência de seguir agregando valor ao longo do tempo e funcionando como uma garantia duradoura. Além disso, os imóveis são uma excelente proteção para o patrimônio em tempo de crises econômicas.”.

Aluguel de imóvel por temporada é uma solução para economizar nas férias

Tradicionalmente nos meses de janeiro e fevereiro e nos dias que antecedem o Carnaval, muitas pessoas se programam para tirar férias com a família, já que este período também coincide com as férias escolares no Brasil.

Além das passagens e traslados, um dos itens que mais pesam no orçamento na hora de decidir fazer as malas e curtir um novo destino turístico é a hospedagem, que costuma corresponder entre 35% a 70% do custo total da viagem, dependendo do destino e da classificação das acomodações.

O especialista no mercado imobiliário Rafael Scodelario aponta que o aluguel de imóvel por temporada está em alta e pode ser uma excelente solução para economizar nas férias: “o aluguel por temporada tem aumentado nos últimos anos no Brasil, mas a projeção de crescimento é ainda maior em 2020 comparado aos anos anteriores. Para fugir de diárias caríssimas em hotéis nas principais cidades, muitos clientes optam em alugar imóveis residenciais por temporada”, revela.

No entanto, segundo Scodelario, a modalidade não é apenas benéfica para viajantes, mas também para muitos proprietários: “optar em fazer esse tipo de locação pode ser muito vantajoso também para os proprietários, já que o imóvel nao fica parado na alta temporada, e também porque o retorno financeiro é maior nesta época do ano que se estende até o carnaval. É uma tendencia nas principais metrópoles no mundo e nao seria diferente no Brasil. Diversas imobiliárias percebendo este mercado e inspirado em plataformas como o AirBnB estão se situando e se posicionando com soluções aos moldes desta efervescente parcela do setor”.

É possível vencer a crise através do empreendedorismo mesmo se tem mais de 35 anos, afirmam especialistas

O que fazer quando estamos em tempos de crise as oportunidades de emprego parecem ter desaparecido? Esta é a pergunta que milhões de brasileiros têm feito. Hoje o país com 13 milhões de desempregados aos poucos tenta se levantar de uma de suas mais severas crises, mas com o mercado em lenta recuperação, ainda são poucas as oportunidades, em especial para pessoas que já estão fora da faixa etária considerada ideal.

O casal de empreendedores Rodolfo Santos e Mariana Tessaroto, autores do livro “Pessoas precisam de Pessoas”, acreditam que o empreendedorismo é uma solução para vencer em tempos de crise: “O empreendedorismo é sempre a saída que muitos encontram para prosseguir com suas vidas e seus sonhos. Muitas pessoas perderam seus empregos após 20 ou 30 anos de dedicação a uma profissão ou a uma empresa e agora não sabem o que fazer, já que o mercado não lhes dá oportunidades tanto por causa da crise como por terem mais idade”.

Mariana Tessaroto/ Rodolfo Santos / MF Press Global

Rodolfo Santos conta que mesmo as pessoas com mais idade são capazes de contribuir e produzir e que têm plena capacidade de dar a volta por cima através do empreendedorismo: “Sempre que se fala em contratar funcionários, as empresas focam em pessoas entre 20 e 35 anos, quase sempre, descartando funcionários com mais idade. Com o crescente número de desemprego no país, pessoas com mais idade encontram poucas oportunidades de serem inseridas no mercado novamente. Assim, o caminho que estão encontrando é o de se tornarem empreendedores para gerarem renda e se manterem”.

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae aponta que 7% dos empreendedores brasileiros têm mais de 65 anos, isso representa cerca de 2,2 milhões dos novos empreendimentos no país: “até porque muitos não conseguem manter o padrão de vida com o valor da aposentadoria e precisam se manter profissionalmente ativos para complementar a renda”.

Rodolfo Santos/ Rodolfo Santos / MF Press Global

Vantagens de empreender depois dos 35 anos

E quem não acha uma boa ideia empreender depois dos 35 anos está enganado. Rodolfo Santos aponta que várias são as vantagens de empreender mesmo que fora da faixa etária considerada ideal: “uma pessoa neste perfil tem muita experiência e maturidade, com lições aprendidas pelos erros e acertos, e já vem com uma rica bagagem de conhecimento, além de um bom networking, tendo o contato de diversas pessoas, de diferentes áreas e que podem contribuir para o crescimento desse empreendimento”, destaca.

Rodolfo também destaca que pessoas com mais idade em geral têm menos gastos pessoais: “Assim já não acumulam tantas dívidas e isso ajuda muito em relação àqueles que estão começando a vida e adquirindo diversos bens materiais”.

Melhor corretor do Brasil ensina como aproveitar as oportunidades do mercado imobiliário em palestra no Maranhão

O mercado imobiliário e a construção civil são termômetros da economia, respondendo por cerca de 6% do PIB nacional. Com boas perspectivas para o mercado imobiliário nesse ano de 2019, devido às reformas anunciadas, e a confirmar as previsões de especialistas, o setor vem enfim registrando números positivos em um movimento de retomada gradual. No entanto, o mercado imobiliário tem seus segredos e nem sempre pode ser entendido de forma linear e isolada.

Rafael Scodelario, considerado um dos principais especialistas do mercado imobiliário nacional e o melhor corretor de imóveis do Brasil, foi convidado pela prefeitura de Caxias, no Maranhão, terceira maior cidade do estado, para realizar palestra onde abordará os segredos do mercado imobiliário e do aprimoramento pessoal para otimizar vendas e aproveitar as oportunidades vindas das projeções de crescimento do setor.

Reprodução / MF Press Global


Intitulada “Seja o Seu Melhor”, a palestra é direcionada a empresários, políticos, autoridades e profissionais do setor: “A estimativa de crescimento do PIB do setor imobiliário é de 2% em 2019, segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o que rompe uma sequência negativa dos últimos anos. Precisamos estar preparados para sermos capazes de aproveitar a retomada do crescimento. A minha palestra traz não apenas o motivacional e o aprimoramento pessoal como temas, mas também estratégias eficazes de vendas e conhecimento apurado do mercado imobiliário”.

O evento acontece no auditório da prefeitura de Caxias no dia 28/11 às 18h30 e tem a realização da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio.

Especialista revela porque falhas na comunicação nas empresas podem resultar em fracassos

A falta ou a falha nos processos de uma comunicação nas empresas é um problema crítico que muitas vezes não ganha a devida atenção da diretoria, mas que é responsável pelo fracasso de boas iniciativas. Segundo o Project Management Institute (PMI), falhas de comunicação  correspondem ao problema de 64% das empresas brasileiras, em pesquisa realizada pela organização em grandes medalhões do mercado como Petrobrás, Nestlé, Vale, IBM e HP no 5º Estudo de Benchmarking em Gerenciamento de Projetos do Brasil, realizado com 184 empresas do país.

O especialista e pós graduado em marketing e comunicação pela PUC Minas, Pedro Marinho Neto, aponta quais seriam os motivos para isto: “ Infelizmente muitos executivos subestimam a necessidade de ter uma comunicação eficiente e assumem automaticamente que seus comunicados e memorandos são assimilados por todos os colaboradores de igual modo. No entanto, na prática, conforme descemos na pirâmide hierárquica da organização, além de não compreenderem o que é dito e pedido, muitos estão insatisfeitos com a quantidade de informações recebidas ou a atenção dispensada às suas respectivas áreas.

Comunicação é a segunda habilidade mais desejada nas empresas

Pedro Marinho Neto aponta que estratégias acertadas de comunicação interna são responsáveis por melhorar a tomada de decisão e a satisfação do cliente: “Segundo o mesmo Estudo de Benchmarking do PMI, que apontou a comunicação como uma das principais falhas das empresas, as habilidades mais valorizadas no ambiente corporativo são liderança (89%), e logo em seguida comunicação (78%). É impossível, no entanto, ser um bom líder sem a capacidade de comunicar de forma clara, concisa e condizente. É possível ser um chefe, mas o líder é aquele que inspira e motiva os colaboradores a levarem a empresa adiante, que sabe delegar, e sem desenvolver a comunicação e sem saber ouvir os colaboradores isto é impossível”.

Os custos da comunicação ineficiente

Para o especialista, comunicação ineficiente também se traduz em consideráveis perdas financeiras para a organização. Mas este não seria o único custo agregado: “uma comunicação ineficiente desmotiva o colaborador, o que aumenta o turnover, que é a rotatividade dentro da empresa. Isto por si só já representa de 16% a 216% do salário do mesmo, entre indenizações e treinamento de novos operacionais. Além disto, uma pesquisa da Spikes Cavell revelou que 57% dos projetos na área de TI, por exemplo, que falharam tiveram como causa de uma comunicação ruim entre as partes interessadas, ficando na primeira posição da lista dos motivos para projetos fracassarem”.

Também são apontadas como efeitos colaterais até mesmo acidentes de trabalho: “a comunicação ineficaz no trabalho é uma das principais causas de acidentes com os funcionários. Em artigo publicado pela US Joint Commission for Hospital Accreditation mostra que 70% dos acidentes com os pacientes é devido à falhas na comunicação”.

Soluções

Segundo Pedro Marinho, é preciso seguir três passos simples para identificar deficiências e resolver os problemas de comunicação corporativa: “pode parecer simples, mas o segredo para identificar e resolver problemas está em três etapas, de ouvir, entender e perceber. Permitir que outro participe com ideias do seu processo decisório, entender o próximo, ter cuidado com o tom de voz, com as palavras, com a fala e os sinais não verbais, que corresponde a 55% do impacto”.

Especialista do mercado imobiliário aponta benefícios da nova redução anunciada este mês pela Caixa na taxa de financiamento imobiliário

O mercado imobiliário está otimista e deve se aquecer mais nos próximos dias com o anuncio feito nesta quarta-feira (30) pela Caixa Econômica Federal de mais uma redução na taxa de financiamento imobiliário com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). O anúncio veio antes da reunião do Copom que deve cortar a Selic em 0,5 ponto percentual, para 5% ao ano, valor mais baixo em anos.

O especialista do setor imobiliário Rafael Scodelario aponta como muito positivo o anúncio da Caixa e enumera alguns benefícios proporcionados pela redução: “é a segunda redução das taxas de financiamento da Caixa em menos de 30 dias. Isto é histórico e considero um grande avanço. Para os profissionais do mercado imobiliário representa mais demanda de clientes, tanto para moradia quanto para investimento. Para o comprador representa maior potencial de compra, porque quanto mais baixa a taxa de juros, maior o valor do financiamento a ser liberado”.

A redução anunciada pela caixa entrará em vigor tanto para as linhas do SFH (Sistema Financeiro de Habitação), de imóveis de até R$ 1,5 milhão e que permite o uso do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), como no SFI (Sistema Financeiro Imobiliário).

Cristiane Cintra, a empreendedora brasileira que gera emprego no Oriente Médio

Cristiane Cintra, a empreendedora brasileira que gera emprego no Oriente Médio

Trabalhando como revendedora de cosméticos, a brasileira Cristiane não imaginava que um dia teria seu próprio negócio, e mais, que ele chegaria ao Oriente Médio. Hoje, como empresária, ela tem sua marca própria de cosméticos, a SP Hair, e é a responsável por transformar a vida de milhares de mulheres no Oriente Médio. 

Em 2008, Cristiane decidiu iniciar o seu próprio negócio, inspirada pela história da própria mãe, cabeleireira, e começou revender cosméticos para salões da capital paulista. Esse foi o gatilho para dar início aos produtos de linha profissional, especializada em cosméticos capilares. Hoje, Cristiane Cintra é CEO da companhia.

Em dois anos, seu negócio cresceu e Cristiane quis cruzar fronteiras com a internacionalização da marca, que caiu no gosto das mulheres de países como Egito e Arábia Saudita, que se tornaram revendedores da marca. A ideia de Cristiane conseguiu um feito revolucionário, contribuindo para que elas ganhassem seu próprio dinheiro. 

No Oriente Médio está os piores países do mundo para as mulheres viverem, os dados de pesquisa são da Thomson Reuters Foundation, entre eles Síria e Arábia Saudita, onde a empresária atua. Por isso, muito mais que gerar um simples trabalho, Cristiane Cintra promove um trabalho social que gera liberdade para essas mulheres.

Fisioterapeuta passa em 8 concursos públicos e dá dicas de como chegou até o topo

Fisioterapeuta passa em 8 concursos públicos e dá dicas de como chegou até o topo

Passar em concurso público é uma tarefa difícil que requer muito empenho e dedicação. Porém, o sonho e a esperança de conquistar uma vaga nos órgãos públicos leva vários candidatos a estudarem horas e horas diariamente. Renata Amorin, por exemplo, era fisioterapeuta quando decidiu estudar para concurso. Aos 24 anos, a profissional foi aprovada em seu primeiro certame. “Antes de passar no meu primeiro concurso, exercia minha função de fisioterapeuta, meio período, e no restante do tempo estudava para o concurso de agente da Polícia Federal", explica. 

A aprovação teórica saiu logo em seguida, porém, durante o teste físico Renata reprovou na prova de natação. “Essa decepção não me fez desistir. Isso foi o que me motivou ainda mais a continuar estudando", afirma a servidora. 

No decorrer dos anos, a concursada se dedicou e foi aprovada em mais três concursos na área de segurança pública, mas sempre tem o "queridinho". "O da Polícia Civil de Goiás foi o mais interessante pra mim, ainda mais por conta da proximidade que teria com minha família que, a maioria, é de Goiás".   

Atualmente, Renata está com 32 anos e já foi aprovada, no total, em oito concursos públicos, porém, ainda não está no cargo em que deseja. "Tomei gosto pelo estudo, nunca parei de estudar e por isso vou continuar, até porque agora quero uma vaga na Secretaria de Fazenda", diz confiante. 

Dicas para quem quer resultado

A principal motivação que fez Renata se dedicar aos estudos foi a decepção com o mercado de trabalho em sua área de fisioterapeuta que tinha a remuneração extremamente baixa. "Eu tinha que trabalhar 12 horas por dia, pra ganhar metade do salário oferecido pra um servidor público da carreira policial, por exemplo", afirma. 

O estudo pra concurso é a dedicação, desgaste e abdicação que você tem que ter de várias coisas, e colocar na cabeça que será um desgaste temporário. "Se você está durante anos estudando e não conseguiu nenhuma aprovação, tenta rever a maneira como você está estudando, métodos de estudos, etc. Porque motivação, dedicação e foco são necessários para a aprovação de um concurso", explica Renata. 

O principal objetivo da servidora, atualmente, é poder contribuir e ajudar outras pessoas também a conquistarem uma cadeira em um órgão público e não desistirem do sonho. O que contribuiu para que Renata passasse em 8 concursos, foi aproveitar aulas do IMP Concursos que, na época, ela havia procurado para conseguir atingir o objetivo. "As matérias que eu não sabia e que tinha mais dificuldade, eu fazia no cursinho. E, com certeza, me ajudou a chegar onde queria e ser uma servidora pública", finaliza.

Conheça a história de superação por trás de uma das maiores distribuidoras de suplementos alimentares do Brasil

A Mundo Maromba Suplementos se tornou uma referência em produtos de nutrição esportiva e em poucos anos alcançou o patamar de a maior distribuidora do Rio de Janeiro e uma das maiores do Brasil, mas poucos conhecem a trajetória do empresário e CEO Daniel Cohen que o fez chegar até aqui.

Daniel Cohen aos 17 anos foi morar em Israel, para tentar a vida como jogador de futebol em 2009 na Terra Santa, e em menos de 2 meses já era uma aposta promissora por vários clubes. No entanto, durante um jogo amistoso foi lesionado seriamente, quando um adversário o atingiu e ele quebrou a perna, fraturando a tíbia ao meio.

O osso foi 100 % quebrado e a lesão foi muito severa, levando-o a ficar 7 dias internado sobre observação e três meses em cadeira de rodas, com fortes dores. Mas o trágico momento, que significou o fim de uma carreira como jogador profissional, foi na verdade o início de sua carreira como empreendedor.

Depois de perder a chance de se tornar jogador,  Daniel se recorda de quando a casa que ele morava com outros brasileiros, no meio de uma reserva florestal no monte Carmelo sofreu o pior incêndio da história de Israel: “tive de abandonar a casa correndo, a casa foi incendiado e nós perdemos tudo, a casa foi 100% queimada, tudo que pudemos levar foi uma mochila com poucas roupas. Felizmente pudemos contar com a sensibilidade do país, recebendo doações de roupas e o oferecimento de estadia pra nós por uns dias em um hotel. 

Mesmo assim, por ser judeu, Daniel decidiu ficar na Terra Santa por mais um tempo para se aprofundar no judaísmo, frequentando uma Yeshiva (escola de judaísmo) e para ganhar experiência de vida, trabalhando como podia no país. Ele trabalhou como segurança em festas, estádios de futebol, descarregando caminhões: “mas o que mais rendia era trabalhar com limpeza, então com a ajuda de uma amiga comecei a trabalhar em casas de luxos como faxineiro. Aprendi muito em Israel”. 

O Início da Mundo Maromba Suplementos

Acostumado a ter um corpo atlético em virtude da prática desportiva, Daniel assustou-se ao perceber que após três meses parado para se recuperar da lesão, havia saltado de 69Kg para 82Kg e se sentiu incomodado, e por isso resolveu investir na musculação e na suplementação. Era o início da Mundo Maromba Suplementos. Depois de um tempo os resultados eram visíveis e Daniel não apenas havia recuperado a boa forma, mas ganhou massa muscular. Dai surgiu o seu amor pela musculação e pelo fisiculturismo. 

No entanto, apesar de estar vivendo em Israel e crescendo em conhecimento, precisou voltar para o Brasil para realizar uma cirurgia de cálculo renal, que no país era muito cara e delicada. 
Após a retirada do cálculo renal, decidiu ficar no Brasil e  começou a faculdade de direito, mas ainda apaixonado pela musculação. 

Até que então surge uma possibilidade de unir o seu amor pelo esporte com a possibilidade de fazer dinheiro à partir disso. Daniel conheceu um revendedor de suplementos e viu ali a oportunidade de revender também. No entanto, como não tinha capital, negociou com esse amigo que ele juntaria os pedidos, buscaria na casa do fornecedor, e ao receber o dinheiro, depositária pra ele. E assim começou a empreender e a sua história de sucesso: “eu tinha lucros de 15 a 20 Reais apenas por produto, mas já era um começo. Eu fazia toda a correria de ônibus, bicicleta e a pé”. 

Crise Familiar

Com o crescimento do negócio, Daniel Cohen precisou abandonar a faculdade de direito para dar conta das vendas, o que gerou uma crise familiar. Mesmo sem apoio da família, que acreditava que o melhor pra ele era a faculdade e que o ramo de suplementação não daria futuro, e que os produtos só teriam procura no verão. Após uma acalorada discussão com o seu pai, Daniel saiu de casa. Sem ter para aonde ir, passou 7 dias vivendo nas ruas: “Tive um grande embate com o meu pai, por causa de ter abandonado a faculdade para investir no meu próprio negócio. Na época ele não entendia e eu percebo o motivo. Ele só queria o melhor para mim e na visão dele isto só era possível com a faculdade. Brigamos feio e eu fiquei na rua, vivendo 7 dias em um posto de gasolina abandonado. Até que um tio meu soube e me disse para morar lá com ele. Passei um tempo com o meu tio e depois com a minha avó e isso foi importante pra que eu alcançasse os meus objetivos”.

Expansão dos negócios

Daniel foi um dos pioneiros em investir na rede social como estratégia para alcançar clientes e fazer vendas com entrega em domicílio, o que colaborou para que os negócios se expandiram rapidamente: “ hoje entendo que não era por mal. Eles queriam o melhor pra mim, o normal do brasileiro é achar que o melhor é ter uma faculdade, mas nem todos nasceram pra trilhar esse caminho. Eu nasci pra ser a ovelha negra e fazer diferente, hoje meu pai e toda minha família se orgulham de mim, hoje 3 primos trabalham comigo e posso ajudá-los, tudo teve um porque. Era pra ter sido assim”.

Daniel seguiu trilhando esse caminho e foi ampliando a empresa. Começou a vender no atacado além de varejo, e hoje após 8 anos, é o proprietário de uma das marcas mais consagradas e respeitadas do ramo, sendo uma das principais distribuidoras do Brasil no atacado, com mais de 30 funcionários, 5 lojas e uma distribuidora de 1 mil metros quadrado: “um empreendedor tem que assumir riscos e acreditar mais em si do que qualquer outra coisa. Se for ouvir alguém, ouça alguém que já trilhou o caminho que você quer trilhar, senão, não escute. Muitos virão pra falar que não vai dar certo, pois as pessoas são 90 % pessimistas e por isso não evoluem. Eu acredito em mim e na minha fé em Deus, que é inabalável. Ele sempre vai querer o melhor pros seus filhos”.  

O Segredo

Daniel Cohen revela que existe algo que pode ser considerado o seu segredo para o sucesso: “um segredo é de não trabalhar pelo dinheiro. Eu todas as noites pedia a Deus que iluminasse minhas escolhas, que eu queria o sucesso perante meu esforço, e se o dinheiro é a recompensa eu quero sim, mas pra poder ajudar mais gente, minha família, amigos e os que eu puder ajudar. O dinheiro nunca pode ser a sua meta e sim a consequência do sucesso, proveniente do teu trabalho”. 

Ação Social

Devido a esta visão de amor ao próximo e de partilha, nessa semana o Mundo Maromba Suplementos fechou uma parceria com o instituto Casa Ronald McDonald que ajuda mais de 50 crianças com câncer no Rio de Janeiro. As lojas físicas do Mundo Maromba se tornaram pontos para doações de roupas e alimentos. Para impulsionar a causa, os clientes que contribuem para a Casa Ronald McDonald tem descontos nos produtos: “devido às dificuldades que passei na vida sempre procuro me preocupar com o próximo e ajudar ao próximo. De 15 em 15 dias vamos proporcionar àquelas crianças atividade recreativas dentro da instituição, com a intenção de tirar da cabeça das crianças por alguns momentos o pensamento de que estão doentes, e sim, proporcionar los momentos de alegria e felicidade”.

Aline Mineiro faz sua estreia como empreendedora e abre loja em São Paulo

A atriz e modelo Aline Mineiro está ingressando no mundo do empreendedorismo. Já conhecida do público por sua atuação na televisão e no teatro, ela agora acrescenta ao seu currículo a experiência como empresária e abriu neste mês de março uma loja da Pink Lash em Perdizes, zona oeste de São Paulo. A atriz será a sócia majoritária deste empreendimento.

A atriz conta porque escolheu investir na abertura de uma loja da Pink Lash como seu primeiro empreendimento: “Conheço os serviços oferecidos pela empresa há 3 anos, através da Samara Martins, dona da franquia. Decidi abrir uma loja da Pink Lash porque confio realmente na marca e sou usuária dos produtos desde então, com excelentes resultados. Os serviços e o método são direcionados a todas as mulheres que buscam embelezar o olhar, ter maior praticidade sem abrir mão da saúde dos fios naturais. A qualidade é diferenciada em extensão de cílios, com fios sintéticos colados individualmente em cada cílio natural, preservando, alinhando e hidratando os fios naturais”.

Aline Mineiro exibe cílios – Foto: Reprodução

Animada com sua estreia no mundo business, Aline Mineiro já tem tudo preparado, com uma equipe de experts para atender ao público: “estou muito animada. As nossas peritas lash artists realizam consultas minuciosas com cada cliente, para ajudar a determinar o comprimento, ondulação e forma que melhor se adequam aos olhos do cliente, tendo em consideração a sua preferência de estilo e a saúde atual dos seus cílios naturais, com alto padrão de higiene e aplicação profissional, bem como uma técnica diferenciada.”

Esta é a vigésima terceira loja da Pink Lash aberta em menos de um ano, o que mostra a expansão da marca e do modelo de negócios adotado. Aline Mineiro alia sua imagem e aceitação pública como atriz, influenciadora digital e modelo à franquia de sucesso que tem apenas 2 anos no mercado mas teve sua expansão meteórica mesmo em meio a crise econômica.

Aline Mineiro com a fundadora da Pink Lash, Samara Martins (Foto: Reprodução)

Além da satisfação pessoal com a franquia e os serviços oferecidos, Aline Mineiro revela porque decidiu se tornar uma empreendedora: “Sempre fui muito proativa e gosto de me manter em atividade e por isso fui atrás de realizar os meu sonhos. Por ter passado na televisão, onde fiquei dos meus 18 aos 27 anos, as pessoas tinham uma opinião equivocada sobre mim, mas aprendi a ignorar críticas vazias. Depois do fim do Pânico, que é um programa que me abriu portas e tenho muito orgulho de dizer que participei, comecei a procurar novas atividades para investir minha energia e após intensa pesquisa de mercado decidi investir na Pink Lash. Hoje me olho no espelho, dentro dos meus olhos, e tenho orgulho de toda minha trajetória.Tudo que passei até aqui foram degraus para alcançar o meu sonho”

Com base em sua própria relação pessoal com a marca, a empresária visa oferecer um ambiente aconchegante e uma experiência cinco estrelas às futuras clientes como mais um diferencial:”queremos oferecer às clientes um tratamento 5 estrelas. Quero que a experiência seja agradável e digna de recomendação. Posso afirmar que o procedimento é tão relaxante que a maioria dos clientes adormecem, a ponto de muitas acordam atônitas e surpresas ao ver como seus novos cílios ficam lindos porque trabalhamos cada conjunto com perfeição. Conheço a Samara desde o início, antes de começar com as franquias, e sou mais uma cliente satisfeita dela. Agora quero oferecer a outras mulheres a mesma experiência e serviço de primeira linha da Pink Lash”, conclui.

A Pink Lash em Perdizes fica na Rua Ministro de Godói 589 – Perdizes – São Paulo