Encontro do Audiovisual e Mídia entre Beijing e Brasil

No dia 25 de junho de 2019, no Rio de Janeiro, foi realizado o Encontro do Audiovisual e Mídia entre Beijing e Brasil promovido pela Administração de Radiofusão e Televisão de Beijing com apoio do Consulado Geral da China no Rio de Janeiro.

O encontro contou com a presença de mais de 90 profissionais da indústria audiovisual, cinematográfica e televisiva de Beijing e do Brasil. A divulgação do evento entre as produtoras brasileiras foi realizada pela BRAVI – Brasil Audiovisual Independente.


Evandro Tiziano, membro da AERJ – Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado do Rio de Janeiro, disse que a cooperação entre Bejing e Brasil é uma preciosa oportunidade para os cidadãos do Rio de Janeiro conhecerem a cultura chinesa.


O diretor do Departamento de Comunicações do Comitê Municipal de Beijing do Partido Comunista da China, Du Feijin afirmou que o intercâmbio cultural entre Beijing e Brasil vem se desenvolvendo no decorrer da história, citando a transmissão da telenovela A Escrava Isaura, dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e do samba. Em 1986, Beijing e o Rio de Janeiro assinaram um acordo de irmandade, promovendo a amizade e o intercâmbio entre as duas cidades.
A vice-cônsul-geral da China no Rio de Janeiro, Xiaoling Chen complementou mencionando a cooperação entre os dois países também no setor econômico. Ela expressou como Beijing atua como centro cultural e possui fortes recursos cinematográficos e televisivos, assim como o Brasil.


Estiveram presentes também a especialista em regulação da ANCINE – Agência Nacional do Cinema, Renata Pelizon; a produtora executiva da Rio2C – Rio Creative Conference, Susana Campos; o assessor especial da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Pablo Fernanddez; executivos de canais brasileiros como o Diretor Geral do Canal Brasil, André Saddy e importantes nomes da produção brasileira e chinesa.
Os profissionais brasileiros e chineses presenciaram a assinatura do MOU – Memorando de Entendimento com as intenções de colaboração mútua entre os mercados. O acordo foi assinado pela Capital Radio & TV Program Producers Association representada pelo presidente Liu Yanming e a BRAVI representada pelo conselheiro federal Mário Nakamura.

Fotos : Divulgação/ assessoria

Padre Fabrício Farias explica a Semana Santa

Entenda o significado de cada dia que relembra a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus

A Semana Santa é uma tradição religiosa que celebra a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Jesus Cristo, convidando os cristãos à conversão e mudança de vida. Celebrar a Semana Santa é celebrar a vitória de Cristo em nossas vidas. Ela se inicia com o Domingo de Ramos e se estende até o Domingo da Páscoa. Vamos entender o significado de cada dia Santo:

Domingo de Ramos:

Com esta celebração se dá o início da Semana Santa, dia em que se comemora a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, poucos dias antes de sofrer a Paixão, Morte e Ressurreição. Este domingo é chamado assim porque o povo cortou ramos de árvores e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passava montado num jumento. Com folhas de palmeiras nas mãos, o povo o aclamava “Rei dos Judeus” gritando “Hosana ao Filho de Davi”. E assim, Jesus entra triunfante em Jerusalém despertando nos sacerdotes e mestres da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder. Começa então todo sofrimento de Jesus. Nos dias de hoje, os fiéis católicos levam para a igreja ramos, para serem abençoados, como símbolo de sua fé.

Segunda-feira santa:

Neste dia, se reflete o momento em que Jesus descansou, na casa de uma família muito estimada, a casa de seu amigo Lázaro, de Marta e Maria Madalena.

Terça-feira santa:

É o dia, que com grande tristeza, Jesus anuncia sua morte, causando tristeza e sofrimento aos discípulos. Anunciou também que seria traído e indicou Judas como seu traidor.

Quarta-feira santa:

No Evangelho deste dia, é apresentada a traição de Judas, descrevendo-nos a negociação com os chefes dos sacerdotes, a quem se ofereceu para trair Jesus. Aceitou assim, trinta moedas de prata como recompensa para entregar Jesus.

Quinta-feira santa:

É o dia que se relembra a última Ceia de Jesus Cristo com seus Apóstolos, onde Jesus humildemente lavou os pés dos seus discípulos. Foi aqui, que Jesus instituiu o Santo Sacrifício como sua eterna memória, e no seu último discurso, encorajou os discípulos a amarem uns aos outros. Depois Jesus dirigiu-se ao monte Getsêmani e começou a sua agonia nos jardins, onde foi preso pelos judeus.
É nesta noite que Jesus é preso, interrogado e ao amanhecer de sexta-feira, açoitado e condenado. A Igreja inicia neste dia a vigília ao Santíssimo, relembrando os sofrimentos de Jesus nesta noite.

Esta celebração é dividida em quatro grandes acontecimentos que dão o início ao Tríduo Pascal. São eles:

Santos óleos
Uma das cerimônias litúrgicas da Quinta-feira Santa é a bênção dos Santos Óleos que serão usados durante todo o ano pelas paróquias. São três os óleos abençoados nesta celebração: o do Crisma, dos Catecúmenos e dos Enfermos. É um momento de reafirmar o compromisso de servir a Jesus Cristo.

Lava-pés
O Lava-pés é um ritual litúrgico que é realizado durante a celebração da Quinta-feira Santa, quando se recorda a última ceia do Senhor.
Jesus, ao lavar os pés dos discípulos, demonstrou seu amor por cada um e mostrou a todos que a humildade e o serviço são o centro de sua mensagem.

Instituição da Eucaristia
Com a celebração da Ceia do Senhor, a Igreja dá início ao chamado Tríduo Pascal e faz memória da Última Ceia, quando Jesus, na noite em que foi traído, ofereceu ao Pai o seu corpo e o seu sangue sob as espécies do pão e do vinho, e entregou aos seus apóstolos para que tomassem e comessem e assim fizessem com seus sucessores.
A palavra “Eucaristia” provém de duas palavras gregas “eu-cháris”, que significa “ação de graças”, e designa a presença real de Jesus Cristo sob as aparências de “Pão e Vinho”.

Instituição do Sacerdócio
Jesus quis, assim como fez na última ceia, que seus discípulos se reunissem e se recordassem sempre dele abençoando o pão e o vinho: “Fazei isto em memória de mim”. Com essas palavras, o Senhor instituiu o sacerdócio católico e deu-lhes poder para celebrar a Eucaristia.

Sexta-feira da Paixão:

Relembramos o dia em que Jesus Cristo é crucificado após sua prisão, julgado e açoitado, recebendo a coroa de espinhos na cabeça, onde é levado à presença de Pilatos, e depois de condenado, carregou a sua própria cruz até o Calvário, onde ao meio-dia foi crucificado entre dois ladrões e por volta das três da tarde entregou seu espírito nas mãos de Deus e morreu. O seu corpo foi depois retirado da cruz e colocado num sepulcro cavado na rocha.

Neste dia, a igreja pratica o jejum e a abstinência da carne, em sinal de penitência e respeito pela morte de Jesus.

Sábado de Aleluia – Vigília Pascal:

Durante o Sábado Santo, a Igreja permanece em silêncio junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua Paixão e Morte, esperando, na oração e no jejum, a Ressurreição de Jesus.

Ao final do dia igreja inicia a Vigília Pascal, onde os fiéis estão à espera da ressurreição. Esta celebração termina no amanhecer do outro dia, onde a Páscoa de Jesus acontece. É a vida que vence a morte!

Nesta celebração temos várias partes importantes. Entre elas:

Bênção do fogo
Neste dia a Igreja, prepara uma fogueira onde estando o povo reunido em volta dela, o sacerdote abençoa o fogo novo. Em seguida, o Círio Pascal é apresentado ao sacerdote e aceso. O padre faz nele uma cruz, dizendo palavras sobre a eternidade de Cristo.

Procissão do Círio Pascal
As luzes da igreja devem permanecer apagadas. O Padre levanta o Círio Pascal proclamando: “Eis a luz de Cristo!”. Todos respondem: “Demos graças a Deus!”.
Os fiéis acendem suas velas no fogo do Círio Pascal e entram na igreja. O Círio, que representa o Cristo Ressuscitado é a luz que nos guia pelas trevas e nos indica o caminho à terra prometida.

Proclamação da Páscoa
Neste momento a igreja anuncia a todos a alegria da Páscoa, a alegria do Céu e de toda a terra. Essa alegria procede da vitória de Cristo sobre a morte.

Liturgia da Palavra
Nesta noite, a comunidade cristã relembra toda a criação e festeja a vitória de Jesus sobre a morte.

Domingo de Páscoa:

É o dia mais aguardado pelos fiéis, o Dia da ressurreição, onde Jesus se levanta de sua sepultura e vence a morte. Nos mostra profundamente e nos traz a mensagem de que nós também não podemos parar em nossas cruzes, assim como Ele não parou na cruz, nós em nossos dias atuais devemos ir adiante, vencendo nossas cruzes e conquistando nossos objetivos e realizações, lembrar que ao lado do pé da cruz de Jesus estava Maria, assim sendo, diariamente Ela também está ao lado do pé de nossas cruzes intercedendo a Deus por nós. Ao cair da cruz, Maria nos acolhe em seus braços e nos leva adiante por amor e com amor. Páscoa então, é o dia do grande milagre onde nos mostra o verdadeiro valor da vida! O dia em que Cristo volta à vida através da sua Ressurreição de entre os mortos. É o dia em que se celebra a Vida, o Amor e a Misericórdia de Deus. Esse dia é estendido por mais cinquenta dias até o Domingo de Pentecostes.

Acompanhe o trabalho do sacerdote através das redes sociais: 

Valha-me Nossa Senhora: https://www.youtube.com/watch?v=RMMGGDPJGhw

Facebook: https://www.facebook.com/PadreFabricioFarias/